12 de jan de 2010

Ser de quem não sou.

Deitada em seus braços, sentia-me em um vazio
com um longa distância entre o corpo e a mente,
como se tivesse sentindo os calafrios de uma ideia insana
não suportando sentir o que sentia,
desviei subitamente o rosto e olhei o céu.
meu coração não bateu no peito, o coração batia
oco entre o estômago e os intestinos;.

Nenhum comentário:

Postar um comentário