25 de ago de 2011

Passáro de fogo.


"Vai se entregar pra mim como a primeira vez.
Vai delirar de amor, sentir o meu calor. Vai me pertencer (...)
Vou ganhar esse jogo, te amando feito um louco.
Quero teu amor bandido. Minha alma viajante,
coração independente por você corre perigo.
To afim dos teus segredos, de tirar o teu sossego, ser bem mais que um amigo.
Não diga que não. Não negue a você, um novo amor, uma nova paixão.
Tão longe do chão serei os teus pés. Nas asas do sonho, rumo ao teu coração.
Permita sentir. Se entrega pra mim. Cavalgue em meu corpo, oh minha eterna paixão..."

(Paula Fernandes)

É de pedra, Zé!

Essa vida viu Zé, pode ser boa que é uma coisa.
Já chorei muito, já doeu muito esse coração.
Mas agora tô, ó, tá vendo? De pedra.
Nem pena do mundo eu consigo mais sentir.
Minha pureza era linda, Zé,
...
mas ninguém entendia, ninguém acolhia.
Todo mundo só abusava dela.
Agora ninguém mais abusa da minha alma
Já era, Zé.
É isso que chamam de ser esperto?
Nossa, então eu sou uma ninja.
Bate aqui no meu peito?
Sentiu o barulho de granito?
Quebrou o braço, Zé? Desculpa."

(Tati Bernardi)



"Não morro de amores por pessoas sem mistério, quando se é muito transparente, muito risonho e educado é raro ser levado a sério. Prefiro os mais silenciosos, os que abrem a boca de menos, os mais serenos e mais perigosos. Aqueles que ninguém define e que sempre analisam os fatos por um novo enfoque. Prefiro os que têm estoque aos que deixam tudo à mostra na vitrine."

(Martha Medeiros)

22 de ago de 2011

Podemos amar mais?


Sabe, andei pensando e acabei chegando a uma conclusão:
Temos que aprender a viver sozinhos, mas não precisamos praticar
isso pra sempre. O ser humano nasceu não sei pra quê, mas a maioria deles
foram confeccionados para o amor.
Tipo eu assim, durona, com a aparência de um coração gelado, coisa que a olho nú parece-se mesmo é com uma pedra. Pois é, se meu coração não tivesse tanto
medo, ele diria o quanto acha importante uma pessoa ao lado.
Sabe, aquela coisa de acordar tendo a consciência que existe alguém, que possa te amar tanto quanto a ama. E que possa sorrir junto com você, andar de mãos dadas sem se importar com o que as pessoas vão pensar. Ter prazer em ver a pessoa feliz, se sentir feliz, fazer outros felizes, ter esperanças. Na verdade, é bom viver um pouco nos sonhos, porque a realidade, mesmo que mais direta, é dura demais. E no final tudo acaba muito rígido, sem amor, sem brilho, sem companhia.