4 de jan de 2011

Eu tenho o melhor de mim.


Não é de costume dissertar sobre o que vou escrever, mas senti necessidade.
Falar do meu cotidiano e como num passe de mágica as coisas mudaram ao meu redor
e de como pude ter esquecido de uma vida contagiante como a minha!

Tinha esquecido da beleza de sorrir espontâneamente.
E ser eu mesma, o tempo todo, todo o tempo.
De poder conhecer as pessoas verdadeiramente, por estar sendo verdadeiro.
De ser livre, e deixar pra trás as coisas ruins que a vida nos proporciona.

Talvez ter tocado a mar, tenha me despertado toda essa sensibilidade, que a tempos não sentia.
Criei laços, me apaixonei, me desmascarei, me senti.
Como eu pude passar tanto tempo dentro de uma mascára lamentando-me e só isso?
Eu sei o porque e sei como. Me acostumei, e tudo o que não pode acontecer é isso.
Eu permiti que todos os meus fantasmas tomassem o meu corpo e imediatamente minha alma.
Duvidei de Deus, chorei mais do que o necessário. E sabe o que isso me trouxe? Nada!
Desperdicei sorrisos, ignorei sonhos e gelei o amor próprio.
Tudo isso pra tentar agradar as pessoas. Mas tentar se igual a elas não é uma boa ideia.
Pelo menos eu, gosto de coisas diferentes, e não gostaria nem um pouco de uma pessoa
do meu lado igual a mim. De mim, já basta eu, o que é MUITO bom!
Sinto necessidade de diferenças, só não imaginava que os próximos tinham essa mesma necessidade.
Transformei o meu eu em outros e, me perdi. Saí de mim.
Contudo, encontrei os pequenos pedaços de simplicidade que deixei pelo caminho, e consegui voltar a mim mesma.
Eu já estava me esquecendo de como é me amar e de como é acordar sorrindo e sabendo que além de você,
você só precisa de Deus!


OBS.: Terei sempre as cores mais vibrantes nos meus dias,
e minha vida será tão doce, quanto o mel de uma abelha rainha!

FELIZ 2011! :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário